Indice
 Boletim Verde Amarelo
 
Número: 24

1. Introdução
Oi galerinha!!!!
Terminou a moleza*!!! Acabou o Natal, o Réveillon, o Carnaval e a Páscoa. Agora é hora de pegar no batente*, planejar o ano e começar a estudar. Neste número, a professora Suzi Nunes nos mostra, de uma forma bem-humorada, as dúvidas e ansiedade es de um estudante brasileiro. E por falar em estudar... na coluna “Pensando em Português®”, tem mais pronomes para vocês! Neste Boletim, você poderá tirar suas dúvidas relacionadas ao uso dos pronomes demonstrativos. É isso! Qualquer dúvida e sugestão escrevam para nós. Ah! Vale críticas também. Um beijãããããão,

Professora Ana Paula Guide Ferreira Chefe/editora

Glossário:

Pegar no batente
Ter um trabalho efetivo com o qual se ganha a vida.

Moleza
Tranqüilidade, sossego, quietação.


No Brasil, muitos colégios e faculdades iniciaram suas aulas no começo de fevereiro. Já alguns alunos que cursam o 2º grau ou colegial, além de pensarem em passar de ano*, têm outras preocupações: a escolha de sua carreira e o medo de não passarem no vestibular*. Leia o texto a seguir que expressa de forma exagerada a ansiedade de muitos adolescentes que desejam entrar na faculdade dos seus sonhos.

Volver al Indice




2. Ansiedade Estudantil
por Suzi Nunes
Como o tempo passa rápido! Chegou 2004, passaram-se as férias, o carnaval, a semana santa e, num piscar de olhos, quando a gente menos espera, chega dezembro e estamos de novo com uma taça de champanha* nas mãos brindando pela chegada de mais um ano. As coisas acontecem tão rápido que quem dorme perde a vez. O mundo agora é globalizado e quem não se prepara não tem lugar no mercado. Pensando nisso, eu, estudante determinado que sou, já estou planejando meu futuro e pensando no vestibular. Na verdade, não penso em outra coisa. Deverei saber tudo sobre Física, Química, Biologia, Matemática, História e Geografia. Já a língua portuguesa, ah, esta eu tiro de letra*, levo anos estudando. Como se não bastasse tenho que saber falar enrolado. Todos dizem que o inglês é a língua universal, mas também tem muita gente neste universo que fala o espanhol. Não descansarei. Perderei noites de sono, dias de lazer*, os recreios do colégio, a novela das oito, os feriados que estão por vir, só para estudar. Estarei concentrado, obstinado, preparado e determinado a passar no vestibular e ser um profissional do século 21. Não me faltarão vagas de trabalho e depois da faculdade, farei pós-graduação*, mestrado*, doutorado* e serei um Ph.D*. Minha professora sempre me diz: “quem cola* não sai da escola”. Pra mim, ela sempre sabe o que fala porque conhece uma porção de palavras difíceis, como esses tais de pronomes oblíquos e possessivos que vocês já viram nos boletins passados. Na escola, meus colegas de classe não estão nem aí* para o estudo. Eles não param na carteira*, cabulam aula*, não copiam o que a professora escreve no quadro, ficam de recuperação e as tarefas de casa, essas, eles sempre as deixam em casa. Eles nunca vão estar preparados para poder enfrentar este tal monstro do vestibular. Eu já planejei tudo. Já estou me preparando para responder a qualquer pergunta que me façam, seja de forma dissertativa*, múltipla escolha* ou somatória*. Só ainda não sei a resposta de uma pergunta, mas isso eu deixo para depois, já que não conta para nota.

1. Que carreira você quer estudar?

( ) Direito ( ) Odontologia ( ) Letras ( ) Nutrição ( ) Medicina ( ) Administração de empresas ( ) Música ( ) Jornalismo ( ) Arquitetura ( ) Psicologia ( ) Farmácia ( ) Engenharia

Glossário:

Tirar de letra
Conhecer muito determinado assunto ou ter habilidade para determinada atividade.

Colar
Copiar clandestinamente um exame escrito; unir, pegar com cola; grudar.

Estar nem aí
Não dar importância para alguma coisa.

Carteira
Mesa ou banca para escrita, estudo, desenho, etc.; pequena bolsa de formato retangular, dobrável e com divisões internas; documentos oficiais expedidos em forma de caderneta e que contêm licenças, autorizações ou identificações: carteira de habilitação; carteira de identidade. 

Pós-graduação
Grau de ensino superior, para aqueles que já concluíram o curso de graduação, e que visa a formar e aperfeiçoar pessoal docente para o ensino de nível superior, estimular o desenvolvimento da pesquisa científica e tecnológica, e proporcionar o treinamento de técnicos de alto padrão.

Ph.D
Doutor, sumidade.

Mestrado
Curso de pós-graduação, mais avançado que a especialização, que  capacita o graduado à execução de pesquisas em uma área de conhecimento, e do qual constam aulas e trabalho de investigação, sob a direção de um orientador, e cuja conclusão é condicionada à apresentação de um trabalho escrito ou tarefa congênere.

Doutorado
Curso de pós-graduação, mais avançado que o mestrado, que capacita o graduado à execução e orientação de pesquisas em uma área de conhecimento.

Passar de ano
Ser aprovado

Vestibular
Exame de ingresso às universidades públicas ou privadas.

Champanha
Vinho espumante, branco ou rosado, fabricado na região de Champagne (França), ou de igual tipo mas de outra procedência.

Lazer
divertimento, entretenimento, distração, recreio. 

Cabular aula
Estudante pouco assíduo; gazeteiro; falta às aulas.

Dissertativa
Tratar com desenvolvimento um ponto doutrinário ou um tema qualquer; discorrer.

Múltipla Escolha
Que abrange muitas respostas

Somatória
Que indica uma soma. 

Volver al Indice




3. Pensando em Português®
por Adriana Pilipposian

Pronomes Demonstrativos

São aqueles que situam os seres, no tempo e no espaço, em relação às três pessoas do discurso. São eles:

Este, esta, isto; esse, essa, isso; aquele, aquela, aquilo.

 1)  Em relação ao espaço (lugar), usamos este, esta, isto para representar qualquer elemento que esteja próximo da pessoa que fala; esse, essa, isso, para elemento que esteja próximo da pessoa com quem se fala; aquele, aquela, aquilo, para elemento distante de ambos.

Ex. Comprei esta jaqueta que estou usando daquele camelô que vai lá adiante. Onde você comprou essa sua?

Dê-me essa caneta, que é minha, e não sua.

Que cara é essa, Albertinho?

Adoro aquela casa amarelinha que fica perto do rio."

2) Em relação ao tempo, usamos este, esta, isto para representar o tempo presente; esse, essa, isso, para o passado recente ou para o futuro; aquele, aquela, aquilo, para o passado remoto. O grande problema é distinguir o passado recente do remoto, pois duas pessoas podem ter interpretações diferentes para a mesma frase.

Quando o verbo estiver conjugado no pretérito imperfeito do indicativo (cantava, vendia, partia), usa-se aquele, aquela, aquilo; com o pretérito perfeito do indicativo (cantei, vendi, parti) é uma questão de estilo: o que julgar que é passado recente usará esse, essa, isso e o que julgar que é passado distante usará aquele, aquela, aquilo.
Ex. Este ano é o ano das mudanças!

Nesse domingo, irei a Águas de Santa Bárbara.

Essas olimpíadas foram horríveis para os atletas brasileiros.

Em 1922 aconteceu a Semana de Arte Moderna; naquela época, havia muitos poetas eminentes.
("Naquela época", pois observe o verbo no pretérito imperfeito do indicativo - havia)

"Em 1984 casei-me; esse foi um dos melhores anos de minha vida."
("esse", pois para mim, apesar de fazer 16 anos, é passado recente; para outra pessoa poderia ser distante)


3) Em relação a citações orais ou escritas:

Usamos esse, essa, isso para retomar um elemento ou uma frase anterior.

Ex. O fumo é prejudicial à saúde; isso já foi comprovado cientificamente.

Usamos este, esta, isto para apresentar um elemento ou uma frase que será escrita ou falada.

Ex. Preste atenção a estas palavras: O fumo é prejudicial à saúde.

Se o pronome demonstrativo estiver retomando o substantivo imediatamente anterior, deveremos usar este, esta, isto.

Ex. O fumo é prejudicial à saúde; esta deve ser preservada.

Perceba que o pronome "esta" está retomando o substantivo "saúde", que está imediatamente anterior a ele.

Ex. Meu filho, não se envolva com os funcionários da empresa em que trabalha o nosso vizinho; aliás, nem com este você deve envolver-se.

4) Há variações dos pronomes demonstrativos, quando contraídos com as preposições de ou em. São elas as seguintes:

Deste, desta, destes, destas, disto.
Neste, nesta, nestes, nestas, nisto.
Desse, dessa, desses, dessas, disso.
Nesse, nessa, nesses, nessa, nisso.
Daquele, daquela, daqueles, daquelas, daquilo.
Naquele, naquela, naqueles, naquelas, naquilo
.

EXERCÍCIOS
Complete com o pronome demonstrativo adequado:

1. Meu carro é ________ aqui. O que você achou _________ modelo?
2. Vou começar a sentir _________ que senti ontem, quando comi frituras.
3.Por favor, passe-me ________ livro.
4. Você está vendo _________ rapaz? Ele está perto _________ mesa.
5. Por favor, entregue-me _______ arma que ninguém o machucará.
6. __________ mês não acaba nunca!!
7. A ________ hora, já lhe haviam entregado o dinheiro.
8. Venha até ________ andar em que estamos.
9. Como é bonita ________ bolsa! Deixe-me vê-la de perto.
10.________ época está cheia de violência. Quando eu era pequenino não era assim: _________ tempos reinava a tranqüilidade.

Respostas:
http://www.verdeamarelo.com.ar/gramatica_online.asp

Volver al Indice

Verde Amarelo - Portugués do Brasil
Sarmiento 767 - Capital Federal - Argentina
Tel: 4325-0932 / 4393-0645
info@verdeamarelo.com.ar
www.verdeamarelo.com.ar
 
Esta é uma publicação eletrônica gratuita idealizada pelo Instituto de Português Verde Amarelo tel. 4325-0932 / 4393-0645), dirigida a alunos, clientes e amigos. Tem como objetivo ampliar o contato entre aquelas pessoas que de uma ou outra forma se interessam pelo Brasil ou que desejam receber informações diversas em Português..